Logo

 

Curitiba, 2015
Vaga-viva (Parklet)

Instalação em madeira, fabricação digital

 

 

Curitiba, 2015
Vaga-viva (Parklet)

 

Refletir e repensar o uso e ocupação da cidade pelo homem. O questionamento surge com a mudança de pensamento em relação a um espaço de uso culturalmente estático, a vaga de automóvel. Este deslocamento abre brecha para uma apropriação mais humana, coletiva e dinâmica deste intervalo urbano.

 

A máquina em repouso cede lugar a outra forma de permanência e convivência social: o corpo em movimento.

 

Através da materialização de uma forma é desencadeado espontaneamente novas narrativas urbanas para o espaço, como a prática de um esporte genuinamente urbano, cujo espaço na metrópole é descriminado, o uso recreativo infantil ou uma nova cota de visualização da rua.

 

O envoltório perfurado atua como um anteparo físico e também visual da dinâmica do espaço interior, alterando as percepções de luz, tempo e matéria gerando uma experiência espacial imersiva e sensorial.

 

Projeto construído para o I Festival de Vaga Vivas em Curitiba, organizado pela Pizza e Cicloiguaçu, durante um final de semana na Avenida Vicente Machado.